Translate this Page

Rating: 2.7/5 (2014 votos)


ONLINE
3





Partilhe este Site...


Prepare-se para ter um melhor futuro
Prepare-se para ter um melhor futuro


Como fazer uma Redação Perfeita – 10 Dicas

1) Formule perguntas
Sabe aquela sensação desagradável de ficar olhando para a folha sentindo um frio na barriga sem saber por onde começar a escrever, aquele momento em que as ideias tiram férias e somem da sua mente? Bom, ficar olhando para a folha não vai resolver a situação: é preciso incentivar a sua mente a trabalhar nos argumentos e, para tanto, basta fazer uma coisa simples: formule perguntas para você mesmo. Faça perguntas sobre o tema para você próprio (pergunte-se como, por que, exemplos, causas, consequências) e as respostas vão aparecer naturalmente e vão se transformar nas ideias e nos argumentos.



2) Saiba escolher o título

A escolha do título é a última coisa que você vai fazer em sua redação, já que ele precisa estar de acordo com o seu texto. Vamos supor que o tema seja “A democracia no século XXI” e você terminou a conclusão escrevendo: “Portanto, os movimentos sociais são o reflexo de um povo que clama pela democracia”. Não use o próprio tema para servir de título (não escreva “a democracia no século XXI”) nem escolha um título vago e genérico (“o papel da democracia”, “a importância da democracia”, “o povo e a democracia”). Você precisa fazer com que o título de sua dissertação dê originalidade à redação. Para tanto, você pode transformar a conclusão na resposta a um título interrogativo (“Como o povo pode espelhar a democracia?”), você pode reescrever a ideia da conclusão (“o reflexo da democracia nos movimentos sociais contemporâneos”), você pode trabalhar com citações (pode escrever no título “o filho que não foge da luta” e terminar o texto escrevendo: “as manifestações sociais que clamam por democracia refletem os versos do Hino Nacional e denotam a figura do filho que não foge da luta”). Geralmente, associar o título à conclusão é uma boa estratégia.

3) Coesão Textual
A Coesão Textual é um dos aspectos redacionais mais importantes em seu texto. Ela é a responsável por manter a leitura de sua redação fluida, sem fragmentos soltos. Para tanto, o segredo é empregar as conjunções, que atuam como elementos de ligação. Sempre que possível, use expressões do tipo: contudo, todavia, entretanto, dessa forma, sendo assim, a fim de, por outro lado, conforme, segundo, etc. Sempre procure usar esses tipos de elementos de ligação, pois são eles que mantêm a integridade de sua redação.

4) Tamanho dos períodos
Não faça períodos curtos ou longos demais. Se você fizer períodos curtos a sua redação acabará ficando fragmentada. Se você fizer períodos longos a sua redação poderá ficar confusa por conta do excesso de informações e o avaliador poderá se perder no meio do caminho, o que pode até comprometer a coerência. Também não fique invertendo a ordem dos termos da oração: procure escrevê-lo na ordem certa, de modo objetivo e simples. Nunca escreva um parágrafo inteiro num período só (apenas com um ponto final).

5) Linearidade Argumentativa
Termine o parágrafo com a mesma ideia que você começou. Se você começou escrevendo sobre as conquistas da democracia, você precisa terminar o parágrafo escrevendo sobre isso. A grande causa da fuga ao tema é o fenômeno da “bola de neve”, ou seja: o candidato vai escrevendo sem se organizar antes, escrevendo conforme as ideias vão surgindo e deixando um assunto ir puxando outro. Os argumentos precisam ser desenvolvidos seguindo uma linha de raciocínio. Não esqueça que fugir do tema é um erro fatal que pode zerar a sua redação.

6) Clichês
Evite os clichês e a linguagem informal (a não ser que você queira destruir a sua redação). Os clichês são aquelas expressões genéricas e batidas do senso comum (ou seja: que todo mundo usa ou fala). Exemplos clássicos: “desde os primórdios da humanidade”, “faca de dois gumes”, “os dois lados da mesma moeda”, “chegou ao fundo do poço”, “é notório que”, “agradar a gregos e a troianos”, “no que se refere”, “voltar à estaca zero”, “nunca antes na história da humanidade”. Isso é tão desagradável que dá vergonha alheia.

7) Não seja óbvio nem genérico
Pior do que o clichê é ser óbvio. Exemplo: “o homem é um ser vivo que vive em sociedade”, “é importante viver em sociedade”. Não diga ideias óbvias que todo mundo sabe. Aproveitando que eu disse “todo mundo”, evite também expressões vagas e genéricas, como “todo mundo”, “todos”, “ninguém”, “estudos afirmam que (que estudos?)”, “cientistas comprovam que (quis cientistas?)”. Outro exemplo é o argumento do Tudo é do Governo, que diz que tudo é culpa dele e que todas as soluções para o Brasil são apenas dele: “o governo não investe em infraestrutura”, “o governo não investe nisso e naquilo”, “os governantes precisam fazer isso e aquilo”. Procure outros argumentos além de jogar tudo nas costas do governo. Todo mundo faz isso, então procure ser diferente. Outro argumento bem genérico é o argumento da conscientização: “as pessoas precisam se conscientizar”, “é preciso se conscientizar”, etc. Ao invés de

dizer que as pessoas precisam se conscientizar, explore de que forma isso pode acontecer.

8) Gramática
Tenha em mente os critérios mais importantes da gramática, como pontuação, acentuação, regência e concordância. O assunto mais importante da pontuação é a vírgula, porque se você usá-la de maneira errada você estará comprometendo a coesão e a coerência do texto. Em acentuação, um erro muito comum é a questão da crase.

9) Não “invente moda”
Seja objetivo e simples. Não queira usar palavras bonitas ou complicadas porque isso não dá ponto. Muito pelo contrário, você aumenta a sua probabilidade de causar uma péssima impressão ao usar formalismo de modo inadequado: você pode misturar diferentes estilos de escritas na mesma redação.

10) Administre o tempo
Ao abrir o caderno da prova veja logo o tema da redação. Se o tema for fácil para você, então parta logo para a redação (porque até chegar lá você estará mais cansado e de “saco cheio” da prova, já que a prova do Enem é chata e tem muito enunciado longo que exige leitura e interpretação). Caso o tema seja difícil e nenhuma ideia surja, então não perca tempo e vá para as questões objetivas, porque as ideias para a redação podem surgir enquanto você estiver resolvendo as questões. Porém, jamais deixe a redação para os últimos instantes da prova. Afinal, se você tiver sérios problemas com o tempo, é melhor chutar as alternativas das questões objetivas do que chutar a redação inteira.

topo